segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Saudade I

Por que sinto este aperto

Este nó na garganta?

Porque revira meu estômago

E a respiração me falha?

Por que minha saliva se resseca

E meu coração palpita?

É a distância de meu amante,

A saudade de meu trovador

Quando sinto sua ausência

E penso no seu amor

Quase que desfaleço

Meu remédio é teu calor

Não te esqueço um só momento

Tortura-me este sentimento

Todo dia morro de banzo

E ressucito ao vê-lo

Como um passarinho engaiolado

Meu coração está preso a você

Porém, tal liberdade

Eu nunca quero ter.